terça-feira, 4 de setembro de 2007

Da desordem do amor.

É aquele segundo que o mundo parece parar.
É aquele calafrio, que você sente “do nada”.
É aquela sensação de “quero mais”.
É estourar plástico bolha.
É comer biscoito escondido, antes do jantar
É uma festa surpresa.
É enterrar a mão num saco de bolinhas de isopor.
É uma briga de travesseiros
É dormir sem ter hora pra acordar
É ter um ataque de riso, até faltar ar.
É um solo do Pink Floyd.
É uma piscina de bolas.
É decisão de campeonato.
É a risada de um bebê.
É um calor que aparece, mesmo estando frio.
É tomar sorvete de chocolate, se lambuzar, e não se envergonhar.
É se pegar sorrindo, sem motivo aparente.
É uma coincidência. Ou muitas.
É crescer junto.
É somar.
É a vontade de abraçar o mundo, mesmo tendo braços curtos.
Amar vai muito além do que a gente percebe.
Vai muito além do que a gente espera.
É saber esperar.

9 comentários:

Anya disse...

Luana? Luanaaaa?
É tão meigo que nem parece que foi você que escreveu!!!
Adogay!

*Lu* disse...

hahahahahahhahahahaha!
eu falei!!!!!!

preciso me aproveitar dos meus momentos, mela-cueca!
hahahahahaha!

Anya disse...

amiga, não fala assim! fica feio! não se diminua! só porque só em raros momentos de viadagem total e completa você consegue escrever assim...

*Lu* disse...

hahahahahahahahahahhahahahaha!!!

super biba!
mas sempre luxa, viu?

*Ju* Vaney disse...

Simplesmentes essas minhas amigas se superam!!
Amooooo tdo q vcs escrevem....
e Jesus de luvinhas, esse ulimo post, hummm tão minha cara, romantica e bobona...hahaha
Bjões!!!

Claudia disse...

Benhêêê,
arrasou!
Luxo total esse texto!
Muito tendência toda essa coisa de amor!

Deni, a madame disse...

muito fofo esse post. amei.
e pode deixar que venho visitar sempre! entrou pra minha lista de blogs queridos


=*

Pedro disse...

É aquela dor entre a terceira e a quarta - de cima para baixo - dupla de costelas, depois de vinte minutos de gargalhadas em dueto.

Beijo, linda.

Robb disse...

acho lindo
(eesa nao faz parte dos nossos achos, mas achei digno falar)


ponto