sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Os acontecimentos que só acontecem comigo pt. 1

Pt1? como assim?
é, eu percebi que na verdade esses acontecimentos que só acontecem comigo vão me render mais de um post. E inúmeras razões para me sacanearem... mas eu não to nem aí.



Quem nunca disse a frase: " Putz! Isso só acontece comigo." ?
Pois é, todo mundo já passou por acontecimentos desagradáveis, mas nada que se compare com os meus.
Eu tenho certeza que eu nasci com um único objetivo, de divertir Jesus. Por que não é possível.
Acontecimentos que vão desde cagadas de pombo, a tábuas de privadas entaladas na cabeça.
De bundas na janela, a bolinhas de gude sendo engolidas.

Prometo relatar aqui esses momentos que tanto me orgulham, mas que não deixam de ser bem ridículos.

Quem, Meu Deus? Mas quem? engole uma bolinha de gude?
eu. Aos sete anos. Levem em consideração que eu sou filha única, e minhas diversões sempre foram executadas comigo mesma. talvez aí esteja o problema.
Depois da refeição mais desagradável da minha vida, eu pude finalmente, ter o que eu sempre sonhei. Catar a minha própria caca. por uma semana. i-nes-que-cível.

Na mesma linha, "criança retardada", eu não me envergonho de dizer, que entrei pela vitrine de uma loja. Sim, vim correndo, como uma cabrita na relva, e entrei pela vitrine. Acredito que foi aí que descobri minha miopia.

A famosa e tão impressionante história da tábua do vaso sanitário... pois bem, eu vou contar. Eu, na beleza dos meus cinco anos, utilizava aquelas tábuas infantis que encaixavam na tábua fixa do vaso sanitário... pois bem, mas quem disse que eu precisava daquilo para realizar minhas necessidades fisiológicas? nunca! eu, uma menina já crescida, com uma popota desenvolvida, precisar de uma tábuazinha de criança? Preferia mil vezes, usar a tábua adulta, e colocar a minha na cabeça, oras... e me transformar na "Rainha do Banheiro". Deu certo por uns dias... até que não saiu mais. Sim, ficou presa. Uma menina de cinco anos, com uma tábua de vaso sanitário, azul turquesa, presa na cabeça...
Agora eu sei, porque minha família sempre se preocupa quando demoro no banho...


Ficar presa do lado de fora de casa, e ter que ficar por uma hora e meia na portaria. Mas isso não é o pior. O pior é, ficar na portaria por uma hora e meia com o porteiro! Acreditem, por mais que vocês tentem, vocês não vão conseguir conversar com seus porteiros, sobre outros assuntos sem ser “futebol”, “violência” e “previsão do tempo”... e não, não adianta, quando um desses assuntos finalmente terminam, eles voltam para o primeiro.
Alguém avise aos porteiros, que nãããão, o tempo nããão mudou em quinze minutos... e o Botafogo não subiu na tabela... tá, acho que isso eles sabem.

A história do roubo do rádio também é interessante.
Após uma agradável noite de sexta-feira, eu me dirijo ao meu veículo automotor. Ao finalmente me sentar, ligar as luzes internas, reparo que todas as minhas coisas estão pelo chão, cd's, lencinhos de papel, cacarecos de mulher, papelada do seguro. Enfim, tudo espalhado e o porta luvas aberto. Começo a guardar tudo, quando reparo num belo buraco no meu painel, no exato local aonde deveria estar meu rádio. Verifiquei janelas, portas, tudo.
Ok. Aí que entra a Luana na história. Uma pessoa normal, xingaria muito... maaas ninguém teria o meu raciocínio. Eu falei em voz alta: "Ok. Alguém entrou no meu carro. Alguém que eu não conheço entrou no meu carro e roubou meu rádio. Como? todos os vidros estavam fechados. tudo diretinho. Bom... se alguém entrou aqui, esse alguém ainda pode estar aqui."
E lá fui eu, abrir a mala do meu carro, porque eu tinha certeza, que o ladrão estava lá, e que ia me surpreender no meu trajeto para casa. Obviamente foi em vão. Mas valeu a intenção, vai...
... tá foi imbecil.

É, não posso dizer que sou uma pessoa de sorte, mas vejam bem... tudo isso poderia terminar muito pior. Eu poderia viver com uma tábua de vaso sanitário na cabeça, batendo com a testa em vitrines aleatórias, e tendo como moradia cabanas em portarias.


Apesar de toda essa auto ridicularização, eu prometo continuar a saga.
"Acontecimentos que só acontecem comigo pt. 2" em breve no blog mais religioso.
amém.

10 comentários:

Bianca disse...

Minha cabrita na relva!!
Jesus peludo, hein...
É cada coisa que acontece com você!
Posta mais sim, anima aqui. :)
E se vc nao aparecer domingo eu vou até copacabana dar-te um tapa na bunda.
Beijocaaa

Anya disse...

Luana acha legal isso, escrever um post com 739623 linhas... Antes de chegar na metade as pessoas (normais) já desistiram de ler!
Logo, seguindo o raciocínio, eu li até o final! Embora eu já saiba todas essas estórias de cor, não me canso delas! Ah, e faltou falar que o assaltante-de-rádios-de-veículos-automotores-que-se-esconde-na-mala era uma Drag Queen!

Claudia disse...

Único comentário que eu acho pertinente ser feito.
A testada na vitrine explica muito das histórias e das que virão.

*Lu* disse...

a claudia é uma vaca mesmo!

Felipe disse...

hahahahahahahahhahaha Luana tu é doida! Mas mesmo assim eu gosto de vc... Só não transfere essa uruca pra mim

bjos

e entra no meu blog

Beto Frega disse...

Amiga, fica assim não... eu mesmo já dei de testa em vitrine... e porta de vidro... várias aliás... e porta de madeira também... e parede, e porta do elevador...


tá, eu to me comprometendo aqui... melhor parar...

Beto Frega disse...

AH, e detalhe: nunca acontece quando estou bêbado.

Anya disse...

Acho jovem postar a segunda parte!

Claudia disse...

Eu só estou comentando porque você pediu pra eu comentar novamente.
Vaca és tu gatochenha!
Agora não me venha dizer que colocar tampas de privadas na cabeça e se sentir a rainha do banheiro é jovem.
Alias, eu já fiquei presa num banheiro de uma sorveteria. Abusei das minhas habilidades na ginastica olimpica e me contorci horrores pra passar debaixo da portinha.

Anya disse...

Ai! Super já fiz isso!!!! ahahaha Só que foi banheiro de restaurante!
que ridículo!