quinta-feira, 10 de abril de 2008

(Insira título aqui)

Hoje, enquanto tomava banho, sentei no chão e chorei. Pela terceira vez nessa semana.
Chorei pelo estágio/emprego que não consigo arrumar. Chorei pela decepção, vergonha e sentimento de inutilidade. Chorei pelo PGE que nem começou e já está dando errado. Chorei por estar quase me formando e começar a não ter certeza de nada, nem do que eu quero, nem do que eu não quero, nem do que eu sou. Chorei de saudade do meu avô maravilhoso. Chorei de saudade de pessoas queridas que moram do outro lado do mundo. Chorei pela volta de sentimentos ruins que não sentia há muito tempo. Chorei por sonhos que não vão se realizar. Chorei pelas expectativas que criei nos outros e em mim mesma.
Sentei e chorei.
E percebi que está ficando cada vez mais difícil fingir que está tudo bem.

3 comentários:

*Lu* disse...

chorei...

Carol disse...

Não é meu blog, não cabe discurso, e é sentimento, não cabe um "Não sinta", "não chore".
Cabe um talvéz consolo, de uma amiga que confia tanto no seu talento, que na verdade com uma ponta de interesse, se aproxima de vc por mil coisas, mas também por ele. Você Fefa e Laura, hoje não tenho menor dúvida. BRI-LHAN-TES!
Normal vem de norma, e isso só existia quando éramos crianças. Tudo bem também não, pq é um lado da balança que exige um outro extremo que não é comum a gente ver na vida... Acho que cabe um "ok", "não ok"...
Seu choro é bom. É choro de limite. Poucas pessoas tem coragem de conhecer seus limites. Ninguém me contou. eu vejo. Com tristeza enorme fico lá sentada vendo.
CLAP, CLAP, CLAP querida.
É um mundo novo agora. o mundo de gente grande, e vc como mais uma vez vemos é muito grande. (sem piadinhas!) Tenho certeza que não vai se perder nele. Só ta levando um tempo pra se adaptar...

Frega disse...

http://aiprontofalei.blogspot.com/2008/04/para-no-chorar-sorri.html

a resposta aos posts acabou ficando tao grande que tive que postar no blog... de coração, espero que atinja.